2

Quanta vida pode haver numa vida só?

Nos deparamos hoje com um vídeo lindo, feito pelo Renato Cabral – criador da Oruminante (roteiro e direção em StoryTelling). E que roteiro maravilhoso e quantas histórias inspiradoras em um só vídeo! Inspire-se e reflita 🙂

A vida que você escolheu

Quanta vida pode haver numa vida só, já se perguntou alguma vez?

Você vive quando apenas abre os olhos e respira. Ou quando não perde aquela chance. Vive quando larga tudo e começa uma nova ideia; quando consegue começar de novo. Vive para ser maior; e indo mais longe, vive mais tempo, porque mais importante que chegar é a vontade de partir.

Você vive quando sai de casa sem blusa e vem o frio. Quando acha que vai chover, e faz calor. Vive quando desses pequenos enganos ainda tira um sorriso e o dá de presente. E, assim, fica mais cheio de motivos para viver. Você vive quando entende que vive melhor quando vive junto; e aí compartilha, divide, cuida.

Você vive quando conhece aquela pessoa e por ela cruza as ruas e os continentes. Vive quando nunca cruza os braços. Você vive quando um se torna dois e vocês viram três, e ficam cheios de uma vida totalmente nova.

Tem gente que vive só quando o sapato aperta; outros só quando os pés saem do chão. Tem gente que vive para mudar o mundo. E tem aquele que gostaria de mudar tudo só para não mudar nada e viver ali, quietinho. Vivemos quando redescobrimos o amor… o amor próprio; o amor ao próximo.

Tem gente que espera pela vida. Tem gente que vive correndo atrás dela. E tem aqueles que a criam em cada respiração, no suor e no sangue, nos sonhos que jamais deixam morrer. Você vive quando entende que viver é ser este movimento que nunca para. Porque afinal, no dia em que ele, enfim, parar, você já não precisa mais se preocupar com a vida.

Por Renato Cabral

quotaria-machado-de-assis

Anúncios
1

Sessão 3: E agora, o que fazer? Foi aí que a Prí aprendeu a ser a mesma coisa, de todos os modos possíveis

Se você não lembra ou ainda não leu, na minha sessão anterior, eu optei por sair do meu trabalho e começar algo novo, ou seja, realmente RECOMEÇAR! Leia toda a história da sessão 2, vai que te inspira mais um pouquinho, né?

Então vamos lá! Você não tem ideia como foi acordar no dia seguinte ao meu pedido de demissão! Foi um alívio. Acordei feliz, energizada e realmente empolgada em ir trabalhar para entregar tudo que tinha combinado (sairia depois de 30 dias). Senti uma liberdade gigantesca, era como se eu tivesse minhas 24 horas de volta pra mim – principalmente aquelas oito horinhas sagradas, que estava gastando com algo que não era meu né! A sensação era de que poderia fazer o que eu quisesse a partir daquele momento. É realmente algo único! Mas, não vou mentir. Na mesma semana que acordei super feliz, também não dormi bem e acordei com frio na barriga, ansiosa, sem saber o que seria de mim depois que terminasse meu aviso prévio. Eu passei boa parte do dia triste e com medo das incertezas. Mas passou… porque eu resolvi confiar mais em mim! Um dos exercícios da minha primeira sessão foi conversar com amigos próximos que me contaram algumas das minhas qualidades e pontos a melhorar. Com isso, percebi que eles confiam mais no meu potencial do que eu mesma! Então resolvi me apoiar nisso e confiar mais em mim, porque eu tinha certeza que “sem trabalho” eu não iria ficar, pelo contrário, teria muiiiiito trabalho pela frente!

frases-mudança-mundo-dalai-lama

Minha terceira sessão de coaching aconteceu no dia 16 de julho, e foi incrível perceber o quanto estava me sentindo viva e com uma vontade louca de descobrir logo o que seria essa TAL COISA que eu iria me dedicar nos próximos meses. Para ajudar com esses questionamentos, a Juliana (minha coach) pediu para que eu sentasse numa mesinha, pegasse uns post-its, canetinhas e afins. Só de entrar em contato com esses materiais – que eu AMO – já fiquei muito feliz! hahahaha Então, ela pediu que eu escrevesse em cada um dos post-it com O QUE e COMO eu gostaria de trabalhar. Difícil né? Aí escrevi em cada post-it tudo que veio na minha cabeça, por exemplo: comunicação, novas ideias, criatividade, levar valor para o mundo/para o dia a dia das pessoas, entre outros, o que deu um total de 8 elementos. Então, procurei formas de interligá-los e, a partir disso, escrevi quais atividades ou trabalhos que me interessavam usando esses elementos. Veja só a imagem abaixo (que já é a versão final toda rabiscada!):

como-e-o-que-quero-trabalhar-se-plural-priloredo

Muita coisa né! Ainda tenho muito o que compartilhar com vocês sobre meus aprendizados durante a sessão 3. Foi sensacional aprender a “conviver” um pouco mais comigo, passar mais tempo pensando em mim para realmente colocar no papel meus sonhos, desejos, habilidades e propósitos! E foi nessa mistura toda que aprendi a “sentir tudo de todas as maneiras, viver tudo de todos os lados, ser a mesma coisa de todos os modos possíveis ao mesmo tempo, realizar em si toda a humanidade de todos os momentos” – Álvaro de Campos (L).

quotaria-passagemdashoras

Não poderia terminar esse post sem um incentivo, que também faz parte dos meus momentos de alumbramentos e me fez ver as pessoas e os negócios de outra forma. Estou falando do vídeo do TED do Simon Sinek – Como grandes líderes inspiram a ação. Você pode dizer que já viu e que é bem bacana. Beleza! Mas você já parou para fazer esse exercício pensando em VOCÊ?

Pare um tempinho aí e procure responder essas perguntinhas:

// O que você acredita? Qual seu propósito? Sua causa? O que te move? O que te faz levantar da cama todos os dias?

// Como você faz o que você acredita? Quais seus diferenciais?

// O que você faz?

Se quiser conversar mais comigo sobre isso, só deixar um comentário aqui no post que já já te respondo! Adoro conversar sobre Propósitos! E seria um prazer ajudar você nessa descoberta! Vamos juntos 🙂

quotaria-paixão

0

A história da Valentina

Hoje, a convite das queridas Mary e Prí vou contar minha história para vocês que seguem o blog do Sê. Quem sabe mais gente se inspira em ser mais feliz?
Estou numa fase muito feliz, cheia de realizações e mudanças. Me formei em relações públicas (aliás, junto com a Prí) e acabo de terminar o mestrado em Comunicação Midiática na Unesp em Bauru. Estou feliz pelo aprendizado incrível durante todo esse tempo e por ter conquistado mais uma etapa importante na minha vida. Agora vocês devem estar pensando que vou contar que quero fazer doutorado e dar continuidade na carreira acadêmica não é ?
Pois é, o tempo passa e as coisas mudam de forma. Sempre pensei que era isso que iria fazer, até meados desse ano, que resolvi explorar novas áreas. Bom aqui começam as surpresas, calma que vou explicar tudinho.
Com o mestrado chegando ao fim depois de dois anos e meio começaram minhas questões sobre o que iria fazer quando terminasse, mais do que isso, o que eu GOSTARIA de fazer. As opções de fazer doutorado e seguir a carreira acadêmica foram adormecendo (pelo menos por enquanto).
Fiquei em crise por não querer me mudar para uma cidade maior na tentativa de um emprego bacana em comunicação (para quem não me conhece, sou do interior e adoro as vantagens encontradas por aqui). Estou em um momento de querer viver com qualidade, fazer o que gosto e estar perto de quem amo. A vida passa rápido demais para gente não vivê-la bem vivida, com gosto mesmo.
Minha vontade de estar perto, trabalhar em algo que me traga prazer, bem-estar, reconhecimento e realização originou a Valentina. Apresento a vocês, minha loja de sapatos femininos. Antes mesmo dela tomar forma, já estou apaixonada, dedicando cada minuto do meu dia com novas ideias, inspirações e sapatos, muitos sapatos. A escolha dos produtos já é uma terapia, uma delícia projetar a loja e os modelos de sapatos então, uma loucura! (vocês mulheres entendem bem o que estou falando, rs).
Bom, e todos esses anos de estudo, dedicação? Todo conhecimento sempre é válido e em algum momento na nossa vida podemos aplicá-los com certeza. Tudo o que aprendi na graduação e no mestrado está me ajudando muito com os detalhes da loja. E continuo estudando, fazendo cursos e me preparando para administrar a loja, a vida não pode parar!
Tudo o que fazemos de novo, os aprendizados e desafios valem muito a pena! Podemos fazer curvas no caminhar da vida e chegar a lugares inesperados que faça mais sentido ao que buscamos.
A vida não é estática, muda o tempo todo e não acho que devamos seguir como se fosse uma receita de bolo. Temos que buscar nossa felicidade e realização, é isso que vamos levar dessa vida, os momentos bem vividos.
O tempo para colocar em prática aquele velho projeto que está lá no fundo da sua mente é AGORA! Crie novas possibilidades de ser feliz e realizado!
Inspire-se e viva deliciosamente bem !

DSC03234
Essa é a Fabíola, nossa querida companheira de hoje, que aceitou de prontidão relatar a sua história para nos inspirar mais um tanto! O Sê deseja vida longa à Valentina!

0

Sessão 3: Quem são suas referências?

Oi gente! Semana passada foi minha terceira sessão de coaching e vou contar pra vocês tudinho o que trabalhamos.
Durante a semana que passou tive algumas tarefas para realizar com o intuito de equilibrar a Roda de Equilíbrio da Vida. (se não viu, está aqui!). E deu certo, acredito que cada vez mais estou conseguindo levar uma vida equilibrada, e isso tem ocupado meus dias de uma forma muito saudável e proveitosa. Com certeza é um exercício que levarei para a vida toda.

Na sessão 3 nós trabalhos com quatro arquétipos! Não sabe o que é isso? Eu também não sabia, mas arquétipos são as impressões que você cria ou tem sobre determinado lugar, pessoa, objeto.

Bom, os arquétipos que o Fábio me passou para realizar foram meus quatro mentores (o guerreiro, a curadora, a visionária e o mestre), aqueles que seguiriam comigo nessa jornada e em todos os momentos da minha vida.

Para cada arquétipo eu deveria imaginar uma pessoa que representasse isso para mim, que tivesse as características que o Fábio descrevia.

O primeiro deles foi o mentor guerreiro, aquele mentor forte, que te incentiva a seguir em frente, te encoraja e está ao seu lado. Este eu personifiquei na figura do meu pai, que sempre me aconselhou dessa forma, nunca desistir dos meus sonhos, por mais que tenha que abdicar de algo, vale a pena ter força, sempre.

O segundo mentor foi a curadora, no meu caso, minha mãe, alguém que te incentiva a lutar pelos seus sonhos, mas que está ali para o que der e vier, a quem você pode recorrer para se aconselhar.

O terceiro mentor é a visionária, aquela pessoa que não descansa, está sempre em busca de novos projetos, novos rumos, sonhadora. E, a minha mentora visionária não poderia ser ninguém diferente da Prí! É aquela que diz vamos juntas nessa.

E o quarto e último mentor é o mestre, aquele em quem você confia como conselheiro, quem pode te ajudar a dar um rumo na sua carreira e vida. Esse meu mentor é o Fábio, meu coach. Atualmente é a ele que confio meu direcionamento de carreira, quem me ajuda a me descobrir cada dia mais.
Para cada mentor eu tenho um símbolo que sempre vou usar quando precisar de determinado tipo de força, guerreiro, curadora, visionária ou do mestre. É uma maneira de simbolizar algo que está dentro da gente.

Com esse exercício consegui personificar coisas que já estavam dentro de mim, como se eu tivesse que conversar com cada uma dessas forças e traçar meu objetivo usando cada uma delas em determinado momentos da caminhada, e muitas vezes, as quatro forças juntas, em equilíbrio. Foi uma prática que mexeu bastante comigo como pessoa, o que reflete na minha vida profissional!

E você? Já pensou em quais mentores poderia ter para ser guiada na sua jornada?

Se te faltou força pra começar sua caminhada, conheça o projeto Ajudar é o Melhor Remédio e inspire-se. Lá você pode criar um projeto e mobilizar seus amigos para participar junto com você.

3

0

O texto-pergunta

coaching-vida-carreira

Olá, tudo bem?

Hoje quero te fazer algumas perguntas para que elas te auxiliem a entender um pouco mais sobre como funciona o processo de coaching, pode ser?
Há quanto tempo você não se “presenteia” com um tempo semanal para pensar nos seus projetos, sonhos e objetivos?

O que você gostaria de fazer ou conquistar durante sua vida (pessoal e profissionalmente), para poder considerar sua vida bem vivida, com pouco ou nenhum remorso?

Qual é sua paixão na vida ou o que faz você mais feliz e completo?
Quais são seus hobbies ou passa tempos favoritos? Há quanto tempo você tem se dedicado a eles, de verdade?
O que te motiva, ou te dá energia?
Como você sabe que sua vida está seguindo o caminho correto?

(Já está cansado de pensar nas respostas das perguntas acima?)

Ok. Só mais uma pergunta:

Você sabia que existe um profissional que pode te auxiliar a realizar os seus reais objetivos e alcançar suas metas a pequeno, médio e longo prazo? Pois bem, este profissional é o COACH, que, por meio de um processo repleto de perguntas, te auxilia no caminho rumo às suas conquistas.

Como prometi que não farei mais perguntas neste texto, deixo uma reflexão para que você mesmo se questione sobre o caminho que está seguindo na sua vida:

A sabedoria está em agir.
Um guerreiro age e um tolo reage.
Não há começar e parar – apenas fazer.
Todos lhe dizem o que fazer e o que é bom para você.
Não querem que você encontre suas próprias respostas, querem que você acredite nas respostas deles.

#BusquesuasRespostas #Coach

Fabio Procópio (coach da Mari)
contato@fabioprocopiocoach.com
www.fabioprocopiocoach.com

1

Aquele trabalho dos sonhos

Você já imaginou inúmeras vezes o seu trabalho dos sonhos?
Já ficou horas idealizando como seria aquele trabalho que juntasse todas as peças: onde você pudesse exercer seus talentos, ter liberdade de criar e se sentir realmente útil para o mundo ao seu redor?
Onde você pudesse lançar mão de seus múltiplos interesses e sua fome de conhecimento de maneira inteira, se sentindo bem por isso?
Um trabalho dos sonhos onde você pudesse simplesmente Ser você?
Um trabalho em que você tivesse retorno financeiro e reconhecimento reais, por aquilo que você é e o que acredita, de verdade?

Já se pegou imaginando esse trabalho e já ficou horas diante do computador ou do jornal, esperando encontrar essa vaga incrível? Você se sente altamente frustrado por isso?

Vou dizer algo a você, que vai parecer um balde de água fria: talvez esse trabalho não exista…

Mas tenho uma excelente notícia: ele não existe ainda! Você pode criá-lo!

Vivemos numa era com uma série de recursos a nossa disposição, temos acesso ao mundo de uma maneira nunca antes vivida na história da humanidade, num piscar de olhos podemos estar em contato com pessoas diversas, histórias incríveis e milhões de possibilidades. E, no entanto, muitas vezes não usamos esse incrível potencial ao nosso favor. Ao invés de ganharmos impulso, nos dispersamos e nos perdemos com tanta informação. Porque nem sempre partimos do ponto ideal, que seria partir da sabedoria interna para então colher as flores certas para enfeitar o nosso mundo.

Ao mesmo tempo, vivemos num contexto de massificação em que as ideologias se incutem com muito mais rapidez por todas as cabecinhas desavisadas por aí. Quer ver um dos engodos? A ilusão de que existe uma só vocação, um só caminho, uma só possibilidade para cada um de nós. Aí bate o super frio na barriga: “e se eu não encontrar a metade certa da laranja? Acabou-se o que era doce?” Mas não é bem assim! Temos várias faces e não precisamos nos encaixotar nos modelos estabelecidos!

Reinvente a sua carreira, reinvente as possibilidades, crie a partir do material extenso que já está dentro de você, use os recursos que estão fora para ampliar ainda mais, vá para o mundo, ligue as antenas para captar quais são as necessidades das pessoas e como você pode atendê-las usando o seu potencial de forma única e especial!Inspire-se, crie o seu modelo, depois volte e molde o barro à sua maneira.

Lembre-se: não é o mais forte que sobrevive, mas quem sabe se adaptar! Em um mundo em franco movimento de mudanças, use todos os seus trunfos ao seu favor! Se não existe o “emprego” dos seus sonhos, ainda bem! Use todo o seu talento e toda sua liberdade para criar!

O primeiro recurso? Você! A partir daí é que toda a reinvenção começa. Permita-se! Não estacione. Busque apoio se for preciso. Vá além e descubra o que há do outro lado dessas barreiras que você tem se imposto. Tudo é válido, desde sua história de vida, suas habilidades e o seu olhar para as oportunidades. Busque informações, mas não se torne mais um formatado pelo senso comum. Sim, esse é um manifesto! Um manifesto pela reinvenção, pelo redesenho, para juntar as peças de um jeito novo, um manifesto para que você crie o trabalho e a vida dos seus sonhos!

Eu estou criando! E você? Quer apoio nessa jornada? Entre em contato, vamos juntar as peças e criar possibilidades!

Por Juliana Garcia (coach da Prí!)

Master coach, psicodramatista, especialista em desenvolvimento pessoal e profissional. Apoia as pessoas a viverem fazendo aquilo que amam, através da descoberta de seus talentos e o desenho de um planejamento concreto de ações.

www.julianaggarcia.com.br

make-things-you-wish-existed-workisnotajob

2

Sessão 2: Nem tudo que é muito é bom!

Minha segunda sessão de coaching começou com uma certeza: mudanças estavam por vir e não sabia para onde me levariam, mas sabia que eram necessárias para poder continuar seguindo com meus sonhos e projetos de vida. (se ainda não leu como foi minha primeira sessão de coaching, acompanhe aqui, pra não perder nadinha!)

Durante a sessão, meu coach Fábio me passou um exercício chamado Roda de Equilíbrio da Vida. Nele você deve numerar de 1 a 10 diversas questões relacionadas à sua vida, divididas em quatro grandes setores: pessoal (desenvolvimento intelectual, saúde e disposição, equilíbrio emocional), profissional (realização e propósito, recursos financeiros, contribuição social), relacionamentos (família, desenvolvimento amoroso, vida social) e qualidade de vida (espiritualidade, plenitude e felicidade, hobbies e diversão). Bom, eu deveria pintar o nível que estava conectada com esses lados da minha vida e consegui gerar uma grande salada.

Olhaí como fica no papel, é só colorir até o ponto ou nível que você acredita estar:

Roda da vida

Percebi que alguns pontos da minha vida estão bem abaixo de onde deveriam estar, como a questão de hobbies, diversão e vida social. De novo, justo eu, que amo sair, me divertir, mais uma vez, deixando de lado o que me movimenta e impulsiona a ter novas ideias, o contato direto com as pessoas!

Mas, o que mais aprendi com esse exercício foi que o exagero, também, não faz bem. Só tive um ponto da vida que estava no nível 10. A princípio, quando o Fábio me questionou sobre o que achava disso, eu vibrei, achei ótimo. Mas, ele me fez repensar. “Calma Mari, nem tudo que é muito é bom!” E, de fato, analisando esse fator percebemos que nem sempre me fazia tão bem assim, pois esse exagero me limitava em outros aspectos da mesma roda de equilíbrio da vida.

Depois, fizemos um exercício chamado perdas e ganhos, mas esse vou contar pra vocês mais pra frente! E, foi justamente ele que conseguiu me mostrar que ganharia muitas coisas e perderia poucas, se conseguisse equilibrar esse ponto da minha vida, que estava no nível máximo, primeiramente.

O que aprendi hoje foi que quando todo mundo falava: “busque o equilíbrio” e eu pensava: “impossível”, caiu! O equilíbrio é questão de se ajustar, mas primeiro precisamos nos perceber. Vamos juntos nessa!

o correr da vida